2 minutos leitura

Conhecido por ter feito a maior revelação de dados secretos da história recente, Snowden afirma que “as pessoas estão a ser manipuladas”.

Edward Snowden, ex-analista informático norte-americano que denunciou práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA, afirmou, sem rodeios, que “não são os dados que estão a ser explorados, são as pessoas que estão a ser manipuladas”.

Durante a sua intervenção no palco da Web Summit, em direto, a partir da Rússia, Snowden afirmou que negócios como a Google, Amazon e Facebook “são abuso”. ” Quando estamos a falar do Facebook ou NSA, esse é o problema, nós legalizamos o abuso da pessoa através do pessoal”. Edward Snowden referia-se ao modelo de negócio destas plataformas que afirmam ser legal o tratamento que fazem dos dados e compara o processo com o levado a cabo pela NSA e que espoletou a sua vontade de expor o caso.

A recolha de dados deixou de ser feita sobre pessoas que praticavam crimes ou que poderiam estar a preparar um crime “começaram a espiar toda a gente, em todo o lado, a toda a hora, guardando o máximo de informação possível, mesmo de pessoas que nunca fizeram nada de errada, nem eram suspeitas de nada”.

Legalizamos o abuso da pessoa através do pessoal

Edward Snowden

Sobre a relação das tecnológicas com o Governo, Snowden afirma: “Não creio ter sido uma decisão colaborativa da indústria” mas não nega que estes dados sejam fornecidos quando solicitados.

“Enraizamos um sistema que torna a população vulnerável pelo benefício dos privilégios”, salienta.

Durante os mais de 20 minutos de intervenção, houve ainda tempo para abordar a questão do RGPD. “O problema não é a proteção de dados. É a recolha dos dados”, garante.

No final da sua intervenção fez ainda um apelo às empresas tecnológicas: “Em vez de pedirem às pessoas para confiarem em vocês e nos vossos serviços, façam com que as pessoas nem tenham de confiar em vocês”.

Edward Snowden era um dos cabeças de cartaz da Web Summit e logo no dia de abertura traçou um cenário que leva as pessoas a olharem com mais cuidado para toda a informação disponibilizada, de form a voluntária, na Internet. 

“Somos a única coisa que pode proteger-nos”, assegura o ex-espião da NSA. Antes da despedida fez ainda questão de deixar uma mensagem aos milhares de pessoas que encheram a Altice Arena, o exterior e ainda todos os que estavam a assistir através das transmissões televisivas e online. “Obrigado e continuem a ser livres”.

Se não viu, veja aqui a intervenção de Edward Snowden na íntegra.