2 minutos leitura

Nos arquivos dos jornais está guardada uma parte relevante da História do quotidiano dos Portugueses. Em tempos recuados, os periódicos eram o meio por excelência para se ficar informado sobre tudo o que se passava dentro e fora de portas. Hoje, recorre-se essencialmente às redes sociais, nas quais a informação, a faktualidade, convive lado a lado com as mentiras, privilegiando-se muitas vezes esta em detrimento daquela.

Mas aquilo que hoje se critica, por vezes com algum desdém, também foi, de fakto, notícia em determinada época. Casos bizarros, polémicos, misteriosos, que ainda hoje, ao serem lidos, chamam a atenção no meio das páginas empoeiradas. Alguns desses assuntos e a forma como foram tratados remetem para um determinado estilo jornalístico hoje muito rotulado, mas que atrai os leitores.

As pesquisas levadas a cabo pela historiadora e jornalista Fátima Mariano, nos arquivos dos jornais portugueses (alguns dos quais já extintos), acabaram por revelar algumas destas notícias que, pelo seu contexto, ainda hoje geram curiosidade e, com a devida distância e respeito pelos protagonistas, valem a pena ser recordadas.

Para percebermos que há coisas que não nasceram com a Internet e que, em Portugal e no Mundo, há diversos temas que foram, de fakto, notícia.

Esta é a nova rubrica do jornal Faktual, que será publicada semanalmente. Não existe um tema, todos são válidos e muitas vezes desconhece-se o desfecho das situações. Por terem ficado por reportar ou porque se perderam no tempo. São alguns dos faktos históricos da imprensa portuguesa.

Estórias que chamam a atenção quando se fazem pesquisas nos arquivos por serem curiosas, macabras ou simplesmente porque aconteceram há dezenas de anos (senão centenas) e que muitos julgam apenas possíveis nos tempos modernos.

Com esta rubrica, o Faktual dá mais um passo, por mais pequeno que seja, no caminho da construção de um site colaborativo. Vamos mantendo a esperança, não no jornalismo, pois essa será a última a morrer, mas na união da classe em torno de uma causa comum que visa, essencialmente, devolver a dignidade à profissão.